quinta, 02 de maio de 2019

Principais erros na Segurança da Informação

Existem erros extremamente comuns quando se vai implementar uma política de segurança da informação dentro de uma empresa, o que pode pode gerar vulnerabilidade e, automaticamente, prejudicar a própria empresa e seus clientes. Por isso, a OnSet listou alguns dos erros mais comuns. Veja abaixo:

A falta de investimento

Um dos erros mais comuns e principais é a falta de investimentos direcionados exclusivamente à proteção de dados da instituição e, consequentemente, faz com que seja gerada uma vulnerabilidade e traz muito mais riscos à segurança da informação dentro da corporação. Um ponto que deve ser muito levado em conta é a falta de conhecimento sobre a importância dessa proteção de dados e das consequências que um vazamento de dados ou perda de informação podem causar dentro da empresa e, principalmente, para seus clientes. Como se trata de uma tecnologia com evolução frequente, os prestadores de serviços de TI precisam se antenar com as últimas novidades, tecnologias de antivírus, firewalls, equipamentos e diversas outras formas para a proteção desses dados.

Falta de autenticação de usuários

Controlar o acesso é um dos principais passos para evitar que suas informações estejam disponíveis apenas para colaboradores que precisam deste determinado acesso e têm interesse direto nesses dados.

Se qualquer usuário tiver acesso às informações da empresa, cria-se uma enorme vulnerabilidade, afinal, hackers podem se valer dessa falha para adquirir senhas simples e conseguir o acesso a qualquer coisa dentro da instituição.

Existem várias técnicas para o roubo de credenciais, como por exemplo phishing e engenharia social, uma das formas mais comuns nos ataques de hackers, que faz com que ele tenha acesso a todos os dados de uma organização.

Ausência de políticas de segurança

Outra falha que é bastante comum é a falta de uma política de segurança da informação bem definida quando se trata das ações permitidas dentro da empresa e os níveis de acesso, assim como diversos exemplos e orientações antes de cada decisão que tenha de ser tomada com relação aos dados.

Quando a política é adotada, normalmente os funcionários não têm treinamento ou conhecimento do padrão estabelecido por meio de um documento, ou seja, ele pode não desempenhar o seu papel de manter a proteção da informação, o que pode resultar em um desastre.

Já se o que existe é falta dessa política de segurança bem estruturada, o que acontece é eximir todos os envolvidos das responsabilidades com a proteção das informações da empresa. O ideal é que todos sejam envolvidos no processo, cada um dentro da sua competência.

Criar rotinas de backup falhas

Uma das principais ações dentro da segurança da informação é a rotina de backup, que garante a continuidade dos negócios. Porém, diversas empresas só observam a sua importância em momentos ruins, quando se faz necessária sua restauração falha.

Ter uma rotina simples jamais será eficiente o bastante dentro das instituições quando se trata de backups, afinal, em alguns casos, apenas é feita uma cópia de dados para dentro de um pendrive, fazendo com que a mídia fica completamente esquecida em um lugar qualquer. Isso porque no caso de um delete total das informações da empresa, essa será a única forma de recuperação, o backup, por isso, se ele não for totalmente funcional, o prejuízo pode ser incalculável, podendo inclusive encerrar todas as operações da empresa.

Atualizações com falta de controle

Outro problema muito comum é a falta de gerenciamento de patches, que é de responsabilidade de quem está prestando o serviço de TI. Uma porta muito utilizada por cibercriminosos, que aproveitam a falta de atualização e exploram as vulnerabilidades já eliminadas pelos fabricantes dos softwares utilizados na instituição.

Por isso é necessário que os prestadores de serviços de TI atualize sempre os softwares, para que não seja gerado um risco desnecessário para a integridade de seus dados. Sempre que se lança uma atualização, a utilização dessa falha por criminosos aumenta e muito, atingindo todos os que não realizam a atualização.

O mercado e suas novidades

É necessário manter tudo atualizado, pois a tecnologia não para, e contar sempre com as últimas novidades é fundamental não apenas em tecnologia de proteção e segurança da informação, mas também sobre quais são as tendências de invasão e quais são as técnicas que estão surgindo entre hackers.

Com as ferramentas mais novas surgem também novas brechas, pois os cibercriminosos também estão sempre de olho em todos os lançamentos de tecnologias e testando novas formas de invasão ao sistema e buscando quais as falhas que possam ser utilizadas.

Por isso a necessidade de tirar um tempo para se atualizar sobre o que anda acontecendo no mundo da segurança da informação, se atualizar verificando soluções e estratégias de proteção cada vez mais avançadas e eficazes.

Ambiente de TI sempre atualizado

Os hackers têm o costume de utilizar qualquer falha de atualização em softwares ou sistemas operacionais, o que demanda um prestador de serviços de TI que tenha um controle eficiente sobre a rotina de atualização de seus ativos de TI.

Políticas de Segurança

Todos os seus colaboradores, sem exceção, devem ser agente de segurança da informação. Para isso, é importante que sejam criadas algumas diretrizes claras de responsabilidade e proteção ao ter que lidar com os dados da organização, por isso, é essencial criar normas de conduta a serem seguidas à risca por todos os colaboradores e registrá-la em algum tipo de documentação de fácil leitura e acesso público. Assim é possível diminuir o risco significativamente de falhas ou vazamentos, por meio do uso de técnicas de phishing, por exemplo.

Controle de acesso estabelecido

É preciso ter o controle do acesso, sendo liberado aos colaboradores de acordo com as suas atribuições dentro da organização, com interesse direto em algum tipo de dado, excluindo-se o restante dos colaboradores com outra função.

Algumas vezes, a perda de informação é pelas ações não indicadas ou equivocadas dos usuários que nem precisariam ter acesso àquele dado. Quando o controle é estabelecido por meio de autenticação de usuário e senha, esse problema é eliminado.

Bloqueio de ações indevidas

A navegação indevida para fins pessoais da rede da empresa, como acesso a redes sociais, utilização de e-mail pessoal ou qualquer outra no ambiente da organização pode ser um grande problema. Em caso de um clique indevido em um link suspeito, os riscos aumentam e muito. Para isso, algumas determinadas ações podem ser bloqueadas, assim como a navegação em alguns sites que sejam conhecidos por infectar máquinas com vírus, evitando assim, o roubo de informação e a contaminação das máquinas do cliente.

Treinamentos da política estabelecida

Estabelecer uma política de segurança é importante, mas não adianta se não for utilizada e seguida à risca, ou seja, é preciso que os seus colaboradores tenham conhecimentos profundos dessa política, visando a eliminação de falhas e vazamento de dados.

Quando os funcionários estão familiarizados com a tecnologia, diversas ações indevidas podem ter um efeito bastante positivo na proteção das informações, mostrando na prática como agir nas mais variadas situações. Por isso, o treinamento é fundamental para demonstrar por que a navegação em redes sociais e para fins pessoais pode ser um risco para a empresa.

Investimento em ferramentas de monitoramento

É importante ficar atento se o seu prestador de serviço de TI monitora as atividades realizadas dentro da empresa constantemente, garantindo assim, que nenhuma falha ou vulnerabilidade na rede está acontecendo.

Uma das formas mais eficazes de garantir uma visão macro ao mesmo tempo que se diminua a necessidade de deslocamento é o uso de uma ferramenta de monitoramento, que controla, de maneira remota, diversas questões dentro da infraestrutura de TI.

O uso é possível com a OnSet Tecnologia, que possui uma dessas ferramentas. Com um quadro geral e informações gráficas é possível receber alertas (notificações) acerca de qualquer mudança no estado de atividades suspeitas no ambiente de TI, diretamente no painel de controle da ferramenta. 

Rotina de backup funcional

A última saída em um caso de perda de dados é o backup e, ainda assim, os prestadores de serviços em TI não dão a devida importância à prática. Além disso é necessário manter uma rotina de testes para recuperação, garantindo que as cópias estão sendo criadas sem problemas e, se necessário, poderão suprir a demanda.


Agora que chegamos ao final deste post é importante lembrar que um prestador de serviços de TI deve sempre garantir a proteção dos dados do seu negócio. Conheça os serviços da OnSet Tecnologia e saiba mais!